Reações Alérgicas da Escova Progressiva

Qualquer substância química em contato com a pele pode ocasionar uma reação alérgica leve ou mais grave. Os procedimentos estéticos alisadores de cabelo como escovas progressivas, inteligentes ou egípcias utilizam como conservante do alisamento o formol, que pode gerar sérias reações alérgicas, principalmente as chamadas dermatites de contato.

A escova progressiva é um método de alisamento dos cabelos utilizado em salões de beleza que é composto pela mistura de substâncias alisadoras e o conservante formol. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) recomenda o uso máximo de 0,2% de formol no processo, porém o órgão recebe várias denuncias de salões que utilizam quantidade superior a permitida, além de produtos no mercado com concentração de formol excedentes.

Os sintomas da reação alérgica ao formol são irritação, coceira e inchaço no couro cabeludo, fortes dores de cabeça, queda de cabelos e inchaço corporal.Quem já teve uma reação alérgica a escovas progressivas deve redobrar os cuidados, pois o organismo tende a desencadear uma potente reação alérgica num segundo contato com o produto. Ao longo prazo, o formol pode inclusive causar o aparecimento de tumores no nariz, boca, laringe e traqueia.

Em caso de aparecimento dos sintomas é recomendado atendimento médico imediatamente, pois por mais que sejam reações leves podem gerar danos secundários como perda de cabelo. Alguns profissionais fazem um teste com a cliente antes da aplicação dos produtos. Numa mexa de cabelo é passado a substância e também na pele para verificar se há uma reação imediata ao produto. A cliente deve ficar atenta se o cabeleireiro oferecer máscaras na hora da aplicação aplicar o produto em sala separada ou não preparar a mistura em sua frente. A adição de formol pelo cabeleireiro no produto alisador é considerada crime e pode resultar em até 15 anos de prisão.

Deixe um Comentário